ASSOCIADOS

Páginas

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Microrrobôs curam infecção no estômago de cobaias

Microrrobôs curam infecção no estômago de cobaias: Os robôs usam o próprio sugo gástrico como combustível a fim de transportar os antibióticos.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sustentabilidade não pode prescindir dos valores humanos

Sustentabilidade não pode prescindir dos valores humanos: Os esforços globais para proteger o planeta irão falhar se não levarmos em conta conceitos como igualdade e bem-estar.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Hidricidade: Usar hidrogênio para armazenar energia do Sol

Hidricidade: Usar hidrogênio para armazenar energia do Sol: É um novo conceito na busca por fontes limpas de energia para abrir caminho para uma economia sustentável.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

A energia que vem do lixo : Envolverde Portal de Sustentabilidade do Brasil

A energia que vem do lixo : Envolverde Portal de Sustentabilidade do Brasil



Tecnologia italiana chega ao Brasil por meio da Unicamp e pode mudar o tratamento de resíduos industriais
Por Felipe Rousseaux de Campos Mello
Hoje, 3% a 5% da matriz energética brasileira é gerada pela incineração do bagaço da cana de açúcar. A inciativa, positiva, poupa a energia gerada em hidrelétricas, por exemplo. A indústria, contudo, queima também resíduos como o enxofre e o cloro, emissores de grande quantidade de poluentes, como dioxinas e furanos, considerados cancerígenos.
Esse quadro pode começar a mudar com os frutos da parceria fechada entre o Parque Científico e Tecnológico da Unicamp e a empresa brasileira Innova- Energias Renováveis. O convênio com a Universidade Estadual de Campinas consiste na implementação de um laboratório de pesquisa, já em funcionamento no parque científico, para o aprimoramento e a adequação da tecnologia italiana à realidade brasileira.
O resultado pode mudar a forma de lidar com o processamento de lixo urbano e a geração de energia elétrica.
Na Europa a tecnologia da Innova é conhecida como RH2INO, foi desenvolvida Main Engineering Srl e trata-se de um processo oposto ao da incineração. Ele decompõe os resíduos mais complicados sem utilizar oxigênio, ou seja, sem queimá-los. Assim, não há emissão de poluentes. O processo recebe o nome de pirólise lenta e é realizado em um tambor rotativo. O gás obtido no reator passa por um sistema de limpeza e purificação afim de remover resíduos nocivos, como o ácido clorídrico e sulfídrico, que porventura tenham surgido durante o processo....